sexta-feira, 1 de março de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Caso Gabriela: Ministério Público oferece denúncia contra homem que confessou ter matado e estuprado adolescente em Pacajá

Railton Pereira da Silva, agora formalmente acusado de estuprar e matar Gabriela Lopes de Andrade, inocentou definitivamente as outras duas pessoas presas por engano pela Polícia Civil, pois confessou ter cometido o crime, sozinho, na véspera do aniversário dela
Railton era vizinho de Gabriela e confessou o crime. Agora ele passa da condição de suspeito para acusado formalmente (Foto: Redes Sociais / Via Correio de Carajás)

O Ministério Público do Estado do Pará ofereceu denúncia ao Poder Judiciário contra Railton Pereira da Silva, preso em novembro de 2023, por suspeita de ter estuprado e matado a estudante Gabriela Lopes de Andrade, em Pacajá, no sudoeste do estado. Agora o homem passa da condição de suspeito para acusado. O crime ocorreu na noite do dia 11 de setembro, véspera do aniversário da adolescente. Ele era vizinho dela e confessou o crime.

Gabriela foi estuprada e morta dentro da casa dela, na véspera do aniversário da moça. Moradores de Pacajá ficaram revoltados. (Foto: Redes Sociais)

No dia do crime, Gabriela estava em casa sozinha, numa área mais socialmente vulnerável de Pacajá. A casa foi invadida e ela foi abusada sexualmente e então morta. O corpo dela foi encontrado na manhã do dia 12. Após uma operação integrada das polícias Civil e Militar, outros dois suspeitos foram presos no dia 14 de setembro, mas liberados por falta de provas. Exames médicos comprovaram que a moça foi estuprada.

Railton, como informou nota do MPPA, já tinha um histórico com crimes envolvendo violência sexual. Em depoimento à Polícia Civil, o acusado confessou o crime realizado e informou com riqueza de detalhes o que aconteceu naquele dia. No relato dele, fez tudo sozinho, inocentando, definitivamente, as outras duas pessoas investigadas. Essa é uma das razões pelas quais sempre é importante considerar uma pessoa suspeita até que se prove o contrário.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!