sexta-feira, 24 de maio de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

MPPA determinou paralisação do parque de diversões no Sindicato Rural de Conceição do Araguaia

Segundo o MPPA, o laudo apresentado pelo Sindicato Rural de Conceição do Araguaia não estava devidamente assinado e continha expressões lacunosas e genéricas, sem fundamentar o método ou ensaio realizado na estrutura dos brinquedos para atestar a segurança
o MPPA solicitou a paralisação imediata do parque estava instalado na área do Sindicato durante a Expo Conceição (Foto: Instagram / Sindicato Rural de Conceição do Araguaia)

Uma das atrações da 25ª Expo Conceição, em Conceição do Araguaia, no Sul do Pará — realizada de 8 a 12 de maio — era um parque de diversões. Nesta segunda-feira (13), o Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) comunicou que tomou uma medida cautelar com tutela de urgência para que o parque “S.S./2024” não ficasse em operação. O motivo é que o laudo técnico apresentado tinha falhas.

A medida foi apresentada junto ao Sindicato Rural de Conceição do Araguaia, realizador da 25ª Expo Conceição. Foram listados pelo menos 14 brinquedos no parque e alguns de “maior adrenalina”. Segundo o MPPA, o laudo apresentado foi de montagem do parque, elaborado por um técnico industrial em eletromecânica, alegando que este seria um ato privativo de engenheiro mecânico.

“Entretanto, o laudo apresentado pelo Sindicato Rural levanta diversas preocupações. Não foram fornecidas informações sobre a data de fabricação dos brinquedos, nem foram realizadas as inspeções necessárias e periódicas, o que poderia levar a uma eventual fadiga dos materiais e, consequentemente, à ruptura, colocando em risco a vida humana. Além disso, não foram relatadas informações sobre os condutores elétricos que alimentam o complexo do parque, como seu estado atual, datas de substituição necessárias e o fato alarmante de que as cablagens estão expostas no chão de terra do parque”, informou o MPPA, por nota.

Outras falhas que constam no laudo, como atesta o MPPA, são de que o documento não estava devidamente assinado e continha “expressões lacunosas e genéricas, sem fundamentar o método ou ensaio realizado na estrutura dos brinquedos”. Por isso, informou o órgão ministerial, foi determinada, liminarmente, a paralisação imediata do funcionamento do Parque de Diversões Benedito Oliveira da Silva Santos, instalado no espaço do Sindicato Rural de Conceição do Araguaia, sob pena de multa de R$ 100 mil.

A Redação do Fato Regional entrou em contato com o Sindicato Rural de Conceição do Araguaia e aguarda um posicionamento sobre o caso.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!