segunda-feira, 27 de maio de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

‘Patolino’ é o segundo morto na megaoperação para capturar suspeitos de sequestrar família na zona rural de São Félix do Xingu

Agentes do 36º BPM, sob o comando do capitão Júlio, relataram troca de tiros com o suspeito conhecido como 'Patolino' que morreu na hora. Ele era próximo de 'Metralha', um suposto faccionado do Comando Vermelho e que seria um dos envolvidos no sequestro de uma família na zona rural de São Félix do Xingu na sexta-feira (23). 'Metralha' havia sido preso há alguns dias numa operação da Polícia Civil com drogas e armas, mas foi liberado e agora está sendo procurado.
Na frente, Jackson, conhecido como 'Patolino', que morreu em confronto com a PM em São Félix do Xingu. Na parte de trás da foto, 'Metalha', que havia sido preso no dia 14 de fevereiro e já está em liberdade, sendo um dos suspeitos do roubo de veículo e sequestro de uma família na zona rural do município (Foto: Redes Sociais)

No terceiro dia da megaoperação do 36º Batalhão de Polícia Militar (BPM) para capturar os envolvidos no sequestro de uma família na zona rural de São Félix do Xingu, no sul do Pará, um segundo suspeito morreu em confronto com os agentes: Jackson da Silva Santos, conhecido pelo apelido de “Patolino” e supostamente faccionado do Comando Vermelho. Um outro suspeito já foi identificado e seria “Metralha”, que havia sido preso no dia 14 de fevereiro, numa ação da Polícia Civil, mas liberado pouco depois.

O novo confronto entre os policiais do 36º BPM, sob o comando do capitão Júlio, e “Patolino” ocorreu na noite deste domingo (25), no distrito de Ladeira Vermelha. Desde sexta-feira, os policiais montaram um cerco para encurralar os suspeitos de praticar o roubo de veículo com tomada de refém no distrito Sudoeste, em São Félix do Xingu. Até o momento, dois homens morreram — Jackson e Wendri Souza — e um outro foi preso: Cristiano das Neves de Sousa Lima, conhecido pelo apelido de “Monstro”. A estimativa da PM é que sejam 6 ou 7 envolvidos ao todo. E um deles seria “Metralha”. A operação continua nesta segunda-feira (26).

“Metralha” foi alvo de uma operação da Polícia Civil, no dia 14 de fevereiro, no bairro Liberdade, junto a uma adolescente que foi apreendida. Com o suspeito, foram apreendidos uma pistola calibre 380, munições, drogas, balança de precisão e um aparelho celular. Ele já estava sendo investigado por supostamente fazer parte do Comando Vermelho e estar envolvido numa divisão da facção especializada no tráfico de drogas e no roubo de veículos. No dia da operação, havia outros suspeitos, mas que conseguiram escapar.

O suspeito preso na operação, conhecido nas redes sociais como “Metralha Menor” (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

Apesar de ter sido preso em flagrante com armas e drogas, o Poder Judiciário concedeu liberdade a “Metralha”. E em menos de 10 dias, se vê suspeito de mais uma ocorrência, dessa vez uma que teve ampla repercussão no estado no Pará, que foi o roubo de um caminhonete e a tomada de reféns, sendo duas mulheres e duas crianças. As investigações sobre o suspeito também seguem pela Polícia Militar. Nas redes sociais, foram encontradas fotos de “Metralha” junto de Jackson “Patolino”.

A arma, munições, drogas e celulares apreendidos com ‘Metralha’, suspeito de integrar a organização criminosa (Foto: Polícia Civil)

Quaisquer informações que possam ajudar na solução do caso podem ser encaminhadas ao Disque-Denúncia (181). Se a informação for mais urgente, o ideal é ligar para o 190. A ligação é gratuita e pode ser feita de qualquer telefone. Também é possível mandar fotos, vídeos, áudios e localização para a atendente virtual Iara, pelo WhatsApp (91) 98115-9181. Não é necessário se identificar.

O Fato Regional sempre abre espaço para a defesa dos mencionados em casos policiais — se os advogados ou envolvidos acharem conveniente quaisquer manifestações —, garantindo amplo direito ao contraditório.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!