quarta-feira, 24 de abril de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Polícia encontra arsenal na casa de um homem na zona rural de Bannach, no sul do Pará

Na segunda etapa da operação 'Justiça de Sangue', que investiga dois latrocínios cometidos pelo mesmo homem no Pará, foram apreendidas 3 armas de fogo e 11 munições com um segundo suspeito. O armamento estava na casa dele, na zona rural de Bannach, e foi descoberto após análise do celular do primeiro investigado.
O homem foi localizado após análise de mensagens no celular do investigado original da operação Justiça de Sangue (Foto: Polícia Civil)

Em um desdobramento da operação “Justiça de Sangue”, da Polícia Civil no sul do Pará, os agentes encontraram um arsenal na casa de um homem na zona rural de Bannach. A nova etapa da investigação ocorreu após a prisão, em Ourilândia do Norte, de um suspeito de ter cometido dois latrocínios (quando a vítima é roubada e morta). A Polícia Militar deu apoio na busca pelas armas e captura do novo investigado.

A operação “Justiça de Sangue” foi deflagrada no dia 7 de março, para o cumprimento de um mandado de prisão, referente a um latrocínio ocorrido em Bannach, no dia 23 de janeiro. Da vítima foram roubados uma grande quantia em dinheiro, além de quatro armas e ouro. Durante os procedimentos de exames e identificação do suspeito preso, Jorbison Carvalho da Silva, foi encontrado um segundo mandado, pelo crime de latrocínio contra um servidor público de Abaetetuba, cometido em fevereiro.

Pelo mandado de prisão preventiva, os policiais tiveram o acesso ao aparelho celular do suspeito autorizado. Após análise de mensagens e questionamentos, foi identificada uma conversa com Carlos Martins Arruda, no qual havia o reconhecimento da posse de uma arma de fogo em situação ilegal na casa de outra pessoa, em Bannach.

Na noite desta terça-feira (12), no endereço do segundo suspeito, os agentes da PC e da PM encontraram muito mais: foram três armas de fogo — um revólver calibre 38, uma espingarda calibre 32 e uma espingarda caseira calibre 36 — e 11 munições diversas.

O Carlos Arruda foi autuado por posse ilegal de armas e munições e está à disposição do Poder Judiciário. Por enquanto, não há suspeita de que ele tenha participado dos outros crimes investigados. O Fato Regional respeita o princípio da presunção de inocência e sempre abre espaço para a defesa dos mencionados em casos policiais — se os advogados ou envolvidos acharem conveniente quaisquer manifestações —, garantindo amplo direito ao contraditório.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional, com informações da Polícia Civil)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!